Um olhar sobre o curso EFA de Manicura e Pedicura em funcionamento no Centro de Formação IDEIA XXI, Paços de Ferreira

29
Out 10

Portugal está sobre uma ameaça. Um cometa está prestes a cair sobre este país. O povo clama desesperadamente por um herói. Eis que aparece do nada, Asdrúbal, um astronauta capaz de destruir o tal cometa.

Genoveva, sua amada, que não gosta da ideia da sua cara-metade partir para o espaço, chora, desconsolada, com o coração despedaçado. Asdrúbal, sabe que tem que partir e deixar a sua bela amada. Por isso, promete-lhe que, no seu regresso, lhe trará uma estrela.

Então, Asdrúbal parte para o desafio com o seu fiel amigo de quatro patas, Espeto. Durante a sua viagem surge uma avaria que deixa os dois amigos aflitos, pois, eles eram entendidos em cometas e não mecânicas de foguetões. Mas logo se apercebem de que um dos motores deixa de funcionar. Atrapalhado com a situação, lembra-se dos três berlindes mágicos que a sua bela amada, Genoveva, lhe deu para usar em caso de extrema necessidade. Asdrúbal não hesita em usar um deles e tudo fica resolvido.

Ao longo da viagem, o perigo volta a surgir, quando são atingidos por uma forte chuva de meteoritos. O astronauta usa, então, de novo mais um berlinde mágico e pensa:

- Só me resta um berlinde mágico. Vou guardá-lo com segurança, para o regresso a casa.

Entretanto, o herói chega ao seu destino. Terá de colocar a máquina no centro do cometa para, assim, o destruir. Uma vez mais, a sorte não está do lado de Asdrúbal e ele tropeça no seu fiel amigo, Espeto, e o inesperado acontece. A máquina parte-se ao meio e Asdrúbal fica sem saber o que fazer. Sem haver outra solução, o herói tem que usar o último berlinde mágico e murmura:

-Posso não voltar a ver a minha amada, mas, vou salvar Portugal!

O seu cão ladra como se estivesse de acordo.

O astronauta cumpre, então, a missão. Mas, sem os berlindes será difícil regressar a casa. Durante o regresso, os dois amigos enfrentam, mais uma vez, a chuva de meteoritos.

Asdrúbal viu que não há mais nada a fazer, então, começa a pensar em Genoveva e no amor que sentem um pelo outro. Este amor faz com que Asdrúbal ganhe forças para vencer todos os obstáculos.

São e salvo o astronauta regressa à sua bela amada, mas um pensamento surge na sua cabeça: a estrela prometida. Espeto ladra e Asdrúbal olha e vê a tão desejada estrela, que oferece, posteriormente, a Genoveva.

Apesar de todos os obstáculos que teve de ultrapassar, Asdrúbal, cumpriu a sua missão, e viveu feliz para sempre com Genoveva e Espeto!

 

Trabalho realizado por :

  • Cristiana Pascoal
  • Sandra Costa
  • Alice Leitão
  • Susana Ferreira
publicado por Efa Manicura e Pedicura às 10:48

Há muitos anos, no Reino de Esmeralda, vivia no Palácio uma linda Princesa que se chamava Carlota. Com a Princesa, vivia o Pai, Rei João, e os seus súbditos. Entre os seus súbditos, havia um ajudante de estábulo que cuidava dos belos cavalos do Rei, que se chamava Madascár.

Com a chegada do aniversário dos 18 Anos da Princesa Carlota, o Rei decidiu dar uma festa, na qual iria presentear a Princesa com uma bela Jóia. Esta jóia tinha sido deixada pela mãe, há alguns anos atrás, antes de morrer.

No decorrer da festa, a Princesa foi chamada pelo Rei para receber o seu presente. Ao abrir o seu presente, a Princesa ficou encantada com a bela tiara de Esmeralda. A tiara só poderia ser usada, por Princesas ou Rainhas.

No fim da festa, a Princesa foi ao estábulo e pediu a Madascár, que lhe selasse um cavalo branco, para ir dar um passeio pela floresta.

Madascár recomendou à Princesa que não fosse sozinha, porque podia correr vários perigos. A Princesa disse-lhe que gostaria de ir sozinha, para viver aquele momento de felicidade, no seu local preferido da floresta.

Não obedecendo às ordens da Princesa, Madascár resolve segui-la de cavalo. Durante o passeio, o cavalo assustou-se com uma grande cobra, que lhe atravessou o caminho e levantou as patas da frente. A Princesa caiu no chão e ficou desmaiada. Madascár, ao ver a Princesa no chão, foi socorrê-la e levou-a para o castelo. Madascár chegou ao Palácio e contou ao Rei o sucedido. Quando a princesa caiu em si deitou as mãos à cabeça e viu que não tinha a sua bela tiara de Esmeralda.

O Rei ficou muto preocupado, porque quem encontrasse aquela tiara podia governar o reino de Esmeralda. O Rei pediu a Madascár que guardasse segredo sobre a jóia e que fosse procurá-la no local onde a princesa tinha caído.

A aia da Princesa, escutou a conversa do Rei e, como era muito ambiciosa, pensou:

- se eu encontrar a tiara, serei eu e governar o Reino de Esmeralda!  

Deu uma grande gargalhada e desatou a correr para pegar no cavalo mais veloz. Pôs-se a caminho, porque conhecia bem o local preferido da Princesa Carlota.

Madascár, ao chegar à cavalariça, apercebeu-se que não estava lá o cavalo mais veloz. Desconfiou que a aia tinha pegado no cavalo, porque dentro do palácio, cruzou-se com ela e reparou que ia com muita pressa.

Então resolveu pegar no cavalo numa espada e numa corda e pôs-se a caminho. Quando chegou à floresta, formou-se uma grande tempestade, mas mesmo assim, Madascár não desistiu.

Chegando ao local, deu-se um grande relâmpago que iluminou tudo à sua volta viu então a aia da Princesa que, assustada por ter visto Madascár, fugiu. Madascár, desconfiado que a aia da Princesa já levasse a tiara consigo, seguia pela floresta dentro.

Com a tempestade, grandes perigos se aproximavam. Caíram árvores e um dilúvio de água se manifestava. Madascár teve de se abrigar numa gruta.

Na gruta deparou-se com a aia e disse-lhe:

- Devolve-me essa tiara! Ela não te pertence!

A aia encurralada viu que não tinha saída e atirou a tiara para dentro de um poço.

Madascár, ao ver que a tiara caiu no fundo do poço, decidiu ir lá buscá-la.

Mas o poço era muito fundo e perigoso. Amarrou a corda que trazia com ele a uma pedra e desceu. A tiara brilhava, bem lá no fundo! A corda era um pouco curta e ele não conseguia chegar á tiara, porque estava no lado oposto da corda. Madascár lembrou-se da sua longa espada e, esticando o braço com muito custo, conseguiu chegar à tiara com a ponta da espada. Ao alcançar a jóia, ficou radiante. Montou o cavalo e pôs-se a galope, para contar o seu feito ao rei.

Sabendo dos perigos que Madascár correu o Rei quis recompensá-lo, dizendo para escolher algo que o fizesse feliz. Então Madascár muito humildemente disse ao Rei:

-O que me faria mais feliz era casar com a Princesa, porque a amo muito.

A Princesa ao ouvir tal pedido ficou feliz e aceitou, porque não era alheia a esse sentimento. O Rei ao ver tal felicidade aceitou o pedido de Madascár.

E foram felizes para sempre…!

 

 

 

                                                                                            

 

                                  

 

 Trabalho Realizado por:

  • Fátima Machado     
  • Carla Neto
  • Rosa Machado
  • Fernanda Cruz
publicado por Efa Manicura e Pedicura às 10:43

Era uma vez, um Rei uma princesa que moravam num lindo castelo num reino longínquo.

            Certo dia, o rei olhou a sua filha e viu como ela crescera, então decidiu que era a altura de começar a procurar um marido para casar.

            Falou com a princesa sobre o que tinha decidido, e ela aceitou. Ficou a imaginar como seria o seu noivo e disse para seu pai:

-Está bem, eu aceito casar, mas, tem de ser com um lindo príncipe que virá morar neste castelo, pois terá de ser o mais bonito de todos.

            Então o rei aceitou de imediato. Chamou o seu criado e marcaram um baile no castelo. Convidaram todos os príncipes de todos os reinos que conheciam, menos o reino onde vivia uma bruxa malvada que também tinha um filho para casar. A bruxa ficou muito furiosa de não ser convidada para esse baile, pois era nessa noite que iria ser escolhido o noivo da princesa.

            A bruxa, furiosa, decidiu preparar um plano maquiavélico, para ir ao baile e ser seu filho o escolhido pela princesa para seu noivo. Mas, para isso, tinha de fazer uma poção mágica que a tornasse bela e convincente, para também atrair o rei a casar consigo. Era pois, esse o seu desejo de á muito tempo.

            Chegado o dia do baile, a bruxa deu a poção ao seu filho. Passados alguns segundos, ele tornou-se muito bonito e elegante. Ela falou-lhe que tinha de conquistar a princesa até á noite do dia seguinte, pois, a essa hora acabaria o encanto e ele voltaria a ser como era. De seguida tomou ela a poção e tornou-se bela e muito elegante.

            Entretanto saíram juntos para o baile. A chegada, o rei ficou encantado com a sua beleza, mas, a princesa não gostou muito do seu filho, pois não o imaginara para seu príncipe. De repente entrou outro rei com o seu filho e, ele era tal e qual como ela imaginara. Chamou o pai e disse:

-Pai é mesmo aquele que sonhava para meu marido.

            A bruxa apercebeu-se da escolha da princesa e pensou:

Tenho de me livrar daquele príncipe. Ela queria que o escolhido fosse seu filho, e fez desaparecer aquele príncipe. Então transformou o seu filho para que ficasse com o aspecto do outro, para que a princesa o escolhesse.  

            Foi então que o rei, ao ver aquela mãe junto do seu filho murmurou baixinho:

            -Eu caso-me com a mãe e tu, minha filha, casaras com o filho.

            E assim foi. Casaram-se e viveram juntos no castelo até que um dia, a poção mágica acabou e o rei ficou desiludido com a escolha que fez.

            Pensou então, que fora enganado pela bruxa malvada que se queria apoderar do seu reino.

            Nesse mesmo dia, mandou a bruxa e o seu filho para longe do castelo e sempre vigiados pelos seus criados.

            Resolveu, então fazer um novo baile para que a sua filha escolhesse sozinho o seu próprio marido.

            E assim aconteceu, a princesa escolheu o príncipe a seu gosto e ficavam a viver no seu lindo castelo. Passados alguns anos chegaram os filhos e foram felizes para sempre.

 

 

 

 

Trabalho realizado por:

                                          ♦ Fernanda Pacheco

 

                                          Olga Monteiro

  

                                          ♦ Clarisse Pacheco

publicado por Efa Manicura e Pedicura às 09:55

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
blogs SAPO