Um olhar sobre o curso EFA de Manicura e Pedicura em funcionamento no Centro de Formação IDEIA XXI, Paços de Ferreira

19
Nov 10

No Egipto entre 3100 a 3500 A.C., as egípcias tingiam as unhas. Naquela época os vernizes eram feitos de goma-arábica: clara de ovo, gelatina e cera de abelhas. De secagem lenta, a película que se formava sobre a unha absorvia a poeira e saía com facilidade.

No princípio, as cores eram o preto e a base de henna. Com o tempo, as cores foram-se aclarando, passando a usar-se tons castanho-claros. A partir do momento que os tons castanho-claros  surgiram, as cores do verniz passaram a indicar a classe social do indivíduo: os tons claros eram usados por mulheres de classes mais baixas e os tons intensos, pela nobreza.

Um exemplo desta diferenciação ocorreu durante o reinado de Cleópatra. A rainha, que não era tão bela assim, criou uma lei determinando que ela seria a única autorizada a usar unhas pintadas de vermelho, segundo a história, uma severa punição poderia ser aplicada para quem desobedecesse à sua ordem, a infractora podia até ser executada.

Outra rainha egípcia, Nefertiti, poderosa e conhecida pela sua beleza, também era fã de vermelho e pintava as unhas das mãos e pés com a cor da pedra mais desejada: o Rubi.

Com essas influências a civilização do Império Romano passou a valorizar ainda mais o cuidado com as mãos e o polimento das unhas começou a ser difundido. Geralmente o polimento ele era feito com materiais abrasivos.

Já na China antiga (3000 A.C.), as unhas compridas eram veneradas e eram sinónimo de nobreza. Os guerreiros, em demonstração de poder e coragem, pintavam as unhas de preto antes de partirem para a batalha.

Saltando para a idade moderna, em 1800 D.C., as unhas femininas apresentavam-se curtas, moldadas a lima, levemente arredondadas e discretas.

Na Europa, o médico “dos pés”, Dr. Sitts, desenvolveu o primeiro instrumento de manicura, muito utilizado até hoje: o pau de laranjeira. Com este instrumento, a cutícula podia ser empurrada suavemente para trás sem a ferir. Antes deste instrumento, a cutícula era removida com todo o tipo de material, com ácidos ou, ainda, com tesouras.

Anos mais tarde, a sobrinha de Dr. Sitts, apresentou um novo método de cuidados para as unhas e iniciou palestras sobre como tratar a cutícula e as unhas. Surgiram, então, os primeiros salões de manicura.

Já em 1900, era comum usar-se tesouras e limas metálicas para dar forma às unhas. Para polir, eram usados cremes, colorantes e pós. Já havia o modelo pioneiro de verniz de unha como o que conhecemos hoje. Este verniz era aplicado com um pincel de pêlo de camelo, no entanto, não permanecia mais que um dia nas unhas.

Mais tarde, foi fundada a primeira empresa de produtos de manicura em Nova York.  A empresa produzia a famosa lixa metálica que se tornou um produto básico para o tratamento de manicura.

Em 1925, foi lançado o primeiro verniz de unhas transparente e em tons rosado.

Na década de 1970, começou a era dos esmaltes sintéticos.

Finalmente, em 1980 os vernizes acrílicos são sucedidos pelos vernizes de “ fiber glass ”. A decoração das unhas não é mais limitada aos vernizes. Pedras preciosas e vários acessórios entraram em uso. Surgiu, então, a profissão.

 

 

 

Trabalho realizado no módulo: Cuidados práticos das mãos e unhas por:

  • Clarisse Pacheco
  • Fátima Machado
  • Fernanda Cruz
  • Odete Alves
publicado por Efa Manicura e Pedicura às 12:16

A boa higiene é um dos requisitos para a saúde do profissional de beleza e dos demais profissionais que têm como área de trabalho a pele humana.

Os profissionais destas áreas, incluindo manicura/pedicura, vão evoluindo no controle de infecção cruzada, nos seus gabinetes ou através da limpeza e esterilização, anti-sepsia dos equipamentos ou pela utilização de produtos descartáveis.

 

Práticas de higiene

  • Lavar as mãos após cada trabalho.
  • Usar, se possível, um uniforme de cor clara (de preferência branca).
  • Usar materiais descartáveis.
  • Esterilizar todos os materiais de metal.
  • Seguir as regras de higiene e armazenamento dos produtos e equipamentos.
  • Nenhum material ou instrumento deve ser usado noutro cliente, sem primeiro ser esterilizado ou desinfectado.
  • Abrir a embalagem dos instrumentos a utilizar, à frente do cliente.
  • Perguntar sempre ao cliente se possui alguma alergia.
  • Desinfectar a mão ou o pé do cliente antes de qualquer procedimento, para evitar infecções.
  • Toalhas e lençóis de tecido devem ser lavados a 90º e passados a ferro.

Prevenção das Patologias das unhas

  • Não andar descalço em pisos constantemente húmidos.
  • Evitar mexer na terra sem usar luvas.
  • Usar somente o seu material de manicura/pedicura.
  • Usar sempre calçado confortável de preferência em pele.
  • Usar meias de algodão.
  • Cortar as unhas a direito, arredondando um pouco os cantos.
  • Não roer as unhas.

 

 

Trabalho publicado por: Olga Monteiro

Alice Leitão

Fernanda Pacheco

publicado por Efa Manicura e Pedicura às 11:46

A arte da massagem tem sido praticada desde tempos antigos e continua a desfrutar de uma profunda expressão e impacto, tanto para quem recebe como para quem executa.

Em todas as culturas que conhecemos existe uma palavra para designar a massagem e, a partir de estudos dos clássicos, afigura-se que os antigos Chineses, Gregos e Romanos praticavam métodos de massagem.

A actual popularidade da massagem pode ser explicada pela necessidade, cada vez mais permanente, de um regresso aos valores “naturais”, em reconhecimento das condições altamente desgastantes da vida moderna. A reacção contra fundamentos inaceitavelmente desumanos, em particular na área da saúde, incentivos ao renascimento de terapias que tinham sido banidas na era cientifica.

Quando realizamos uma massagem, a uma pessoa, estabelecemos um contacto com ela, e criamos, no fundo, uma comunicação sem palavras. As mãos da pessoa que está a realizar a massagem têm o poder de estabelecer e transmitir essa mesma comunicação.

A massagem tem efeito sobre vários tecidos: a pele, o tecido celular subcutâneo, o tecido muscular e as fibras nervosas. Certos tipos de massagem são indicados especialmente para determinados tecidos. A mobilização de tecidos moles pode ser considerada como uma das mais generalizadas terapias energéticas dos tempos actuais. É eficazmente utilizada em grupos de relaxamento e como método de terapia natural.

A massagem serve, exactamente, para suavizar a pele e para manter ou devolver a sua elasticidade e tonicidade. E serve, internamente para activar a circulação sanguínea e linfática.

Desta forma, a massagem favorece o intercâmbio de oxigénio e alimentos, o que permite uma melhor actividade celular e uma melhor eliminação de toxinas. A massagem actua também ao nível das terminações nervosas, e segundo o tipo de massagem, pode provocar uma sensação de relaxamento ou de activação muscular.

O trabalho da manicura e pedicura tem como objectivo usar as técnicas de massagem adequadas para as regiões da mão, antebraço, perna e pé.

O uso das mãos e braços durante todo dia, provoca muita tensão e dor nas mãos, pulsos e braços. A massagem das mãos e braços é muito útil, não só alivia a dor dos braços e das mãos, mas também resolve problemas de má circulação do sangue e artrite. Também pode reduzir qualquer tipo de pressão no pescoço e na cabeça devido ao sistema nervoso.

A massagem da mão e antebraço pode ser feita por 5-10 minutos, aliviando as dores e proporcionando bem-estar à cliente.

A massagem do pé é fundamental e imprescindível. Na região plantar do pé existem pontos reflexos correspondentes a todos os órgãos do corpo. Por isso cada vez mais se fala em reflexologia e a massagem assumiu uma importância enorme para a saúde e bem-estar geral. Ao pressionar os pontos específicos do pé, reduz-se a dor, está-se a estimular a circulação sanguínea, com um impacto benéfico em todo o organismo.

Hoje, a massagem (independentemente do método) é considerada como uma forma eficaz de prevenir doenças, reforçar o sistema imunitário, ajudar o corpo a "curar-se a si mesmo" e como uma terapia de relaxamento do corpo e da mente sendo utilizada na nossa profissão Manicura-Pedicura como forma de libertar o stress aos nossos clientes.

 

Trabalho realizado por:

 

¬  Conceição Costa

¬  Alice Gomes

¬  Cidália Rocha

¬  Rosa Machado

publicado por Efa Manicura e Pedicura às 09:41

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

16
17
18
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
blogs SAPO